29 de out de 2009





CONTOS DA MARTINHO

A madrugada corria solta, o silêncio na rua era sepucral...ao longe o som das ondas do mar!!! Dormindo o sono dos justos, a maioria dos moradores da rua Martinho é selvagemente acordada com gritos histéricos de uma mulher que dizia em alto e bom som: "- Se você me abandonar vou me matar!!"
Os berros da louca ensandecida, me fazem levantar e olhar o relógio - 3 da manhã - e depois a janela, dali em diante estou de frente com o espetáculo mais bizarro que já vi : uma loira, com a maquiagem se esvaindo no choro, perigosamente balançando  o corpo diante da sacada!
O marido, sonolento, resmunga um 'futriqueira' e um 'sai daí mulher' que nem me dou ao trabalho de atender...
Ao longe, é possível ouvir uma voz abafada e masculina que repete sempre o mesmo 'Louca, loouca, louca..'
Aos poucos, mais 'futriqueiros' aparecem em suas janelas, observando e esperando o desfecho da cena. Meus olhos já despertos, e acostumados com a escuridão da noite, percebem os detalhes da loira: cabelo desgrenhado, roupa rasgada, um pé com sandália e outro sem, tanto o corpo quanto a voz demonstram claramente que muitas doses de álcool já cirularam pelo corpinho. E os gritos continuam, que belos pulmões tem a loira; o que antes era uma rua tranquila, se transforma em um espetáculo de fantoches, onde ninguém sabe quem está puxando os fios...
De repente, num rompante típico dos bêbados e insanos, se coloca de pé no parapeito da sacada e grita: 'Se você me abandonar eu vou me atirar da sacada! Eu quero morrerrrrrrrrr!!!!'
Sua voz estridente e pastosa quase me fazem desejar que se atire duma vez e me deixe dormir...
E antes que meus pensamentos terminem...ela se atira!
E não morre!
Sim, porque os bêbados tem um santo protetor prá lá de camarada, e também porque era o 2º andar, pois não é que a insana se levanta dá dois berros de dor e reclama que quebrou o braço?
Alguém chamou a polícia!
A doida tenta voltar para dentro do edifício...o lado masculino da história se recusa a deixá-la entrar e ela continua a gritar que vai se atirar...imagino de onde porque no chão já está e os muros ao redor são tão altos quanto um botijão de gás...
Eis que, um novo 'futriqueiro' aparece, agora ao meu lado e bem desperto perguntando 'que barulho é esse?'
Olho o relógio - 4h e 20 - e digo calmamente que era o espetáculo da noite e que já era para ter terminado, mas que estavam esperando que ele acordasse e fosse resolver o assunto!

CONTINUA AMANHÃ....

BEIJOCAS SURTADAS
REFLORIPA