28 de fev de 2011

fábulas....



Toda a fábula carrega em si uma lição de moral; é uma forma de ensinar aos pequenos como sentimentos, atos e atitudes humanas podem ser dignos e éticos. 
Através do contar a história, a criança vai criando dentro de seu mundo lúdico, os 'bons' valores que se espera, quando adulto, ela tenha...
A moral da história vem dessas fábulas, particularmente, do Esopo
(todas aqui o são), onde de forma simples,
são repassados os elementos sociais que moldam o caráter dos 'pequenos'...
No mundo  encantado, onde animais e homens falam, a criança vai aprendendo a 'ver'
o mundo real.
Mesmo parecendo simplórias e inócuas, as fábulas carregam em si, uma mensagem...
Mensagem que vem sendo deixada para trás,
exatamente porque se propõe a fornecer uma lição de moral...
Hoje isso não tem mais valor nenhum!
(Rê)



A raposa e o leão


Uma raposa muito jovem, que nunca tinha visto um leão, estava andando pela floresta e deu de cara com um deles. Ela não precisou olhar muito para sair correndo desesperada na direção do primeiro esconderijo que encontrou. Quando viu o leão pela segunda vez, a raposa ficou atrás de uma árvore a fim de poder olhar para ele antes de fugir. Mas na terceira vez a raposa foi direto até o leão e começou a dar tapinhas nas costas dele, dizendo:
- Oi, gatão! Tudo bem aí?
Moral: Da familiaridade nasce o abuso.


O Cachorro e sua Sombra

Um cachorro com um pedaço de carne roubada na boca estava atravessando um rio a caminho de casa quando viu sua sombra refletida na água.
Pensando que estava vendo outro cachorro com outro pedaço de carne, ele abocanhou o reflexo para se apropriar da outra carne, mas quando abriu a boca deixou cair no rio o pedaço que já era dele.

Moral: a cobiça não leva a nada.







O Cão Raivoso

Um cachorro costumava atacar sorrateiramente e morder os calcanhares de quem encontrasse pela frente.
Seu dono então, pendurou um sino em seu pescoço pois assim ele alertava as pessoas de sua presença onde quer que estivesse.
O cachorro cresceu orgulhoso e, vaidoso do seu sino, caminhava tilintando-o pela rua.
Um velho cão de caça então lhe disse:
- Por quê você se exibe tanto? Este sino que carrega não é, acredite, nenhuma honra ao mérito, mas ao contrário, uma marca de desonra, um aviso público para que todas as pessoas o evitem por ser perigoso.

Moral: Engana-se quem pensa que notoriedade é fama.


Os viajantes e o urso


Um dia dois viajantes deram de cara com um urso. O primeiro se salvou escalando uma árvore, mas o outro, sabendo que não ia conseguir vencer sozinho o urso, se jogou no chão e fingiu-se de morto. O urso se aproximou dele e começou a cheirar as orelhas do homem, mas, convencido de que estava morto, foi embora. O amigo começou a descer da árvore e perguntou:
-O que o urso estava cochichando em seu ouvido?
-Ora, ele só me disse para pensar duas vezes antes de sair por aí viajando com gente que abandona os amigos na hora do perigo.
Moral: a desgraça põe à prova a sinceridade da amizade.