29 de ago de 2013

FLORES RARAS, o filme


imagem

Aproveitando que o filme "Flores Raras" está em cartaz, aqui vão alguns escritos
da poetisa norte-americana Elizabeth Bishop, amante da arquiteta e criadora do aterro do Flamengo, Lota de Macedo Soares , vivida no filme por Glória Pires.

“Qualquer pessoa em visita ao Brasil concordaria que os brasileiros, cidadãos comuns, são um povo maravilhoso, alegre, gentil, espirituoso e paciente – de uma inacreditável paciência. Vê-los esperar em filas por horas, literalmente por horas, em filas cujo ziguezague, esticado, equivaleria a duas ou três quadras, só para embarcar num ônibus avariado e dirigido da maneira mais imprudente com destino a suas minúsculas casas de subúrbio, onde as ruas provavelmente ainda aguardam conserto e o lixo não foi recolhido, onde talvez esteja até faltando água – ver isso é assombrar-se com tamanha paciência. Outros povos sob provações semelhantes sem dúvida fariam uma revolução por mês.”

Elizabeth Bishop
Parágrafo final do livro: “Brazil”, escrito para a coleção World Library da revista norte-americana Life - 1962


"O Rio não é uma Cidade Maravilhosa, é uma paisagem maravilhosa para uma cidade." 

Elizabeth Bishop, nos anos 50.


A arte de perder não é nenhum mistério, tantas coisas contém em si o acidente
de perdê-las, que perder não é nada sério
(...)
 Perdi duas cidades lindas. E um império
 que era meu, dois rios e mais um continente.
 Tenho saudades deles. Mas não é nada sério.

 Mesmo perder você (a voz, o ar etéreo 
que eu amo) não muda nada. Pois é evidente
 que a arte de perder não chega a ser mistério
 por muito que pareça (Escreve!) muito sério.



Elizabeth Bishop

Caso queiram saber mais, saiu uma resenha sobre o filme e sobre a situação do Brasil, na época, muito bom, de autoria de AMELIA GONZALEZ.

AGRADECENDO NOSSO AMIGO ANJO PELO MATERIAL!
BEIJOKAS SURTADAS,
REGINA