15 de jun de 2010

CONTOS DA MARTINHO: 
VIDAS PASSADAS
 parte final
Como disse ontem, para encurtar “... a nossa história caliente passada nas escaldantes areias do deserto do Saara, onde quase nenhum ser consegue viver e onde o sol nunca se põe e....” , entenderam o que sofri? Quase fiz como a dama na imagem ao lado!
Mas, sério agora... para encurtar a história, a velhota fugia para o lado rico da cidade à procura da beleza e da juventude eternas, atrás das mais finas sedas, das ervas exóticas e ungüentos rejuvenescedores, gastando todo o dinheiro que adquiria com sua língua viperina, na procura de um milagre! Minha amiga, ex do Tuta, ficou muito chateada com essa descoberta...mas nada pode fazer...
Acharam fraco o final? Esperem....ainda não terminou.... a fumacinha do ‘demo’ tem essa desvantagem: tudo é em slow-motion, bem devagar, como se a ‘saborear cada momento e senti-lo como único...’
Pois bem, dias depois de me contar a ‘broxante’ história das Mil e uma Noites dos Pobres, a maluca bate na minha porta, totalmente agitada, coisa rara de ver, sem conseguir falar coisa com coisa, atropelando as palavras, outra raridade.... tenho que acalmar a pobre com muita água com açúcar, abanar com papel de pão a nuca, para no final gritar: “Desembucha mulher, que estou me mordendo de curiosidade! O que foi que aconteceu?” Ela, respira fundo e em lágrimas diz: ‘Ela voltou! Ela está aqui!’
Levanto minha sobrancelha, coço o queixo, como se uma barbicha tivesse... ela sempre me disse que isso era tique de outra vida.... me sento calmamente, respiro profundamente e já arrependida de perguntar antes mesmo de fazê-lo, digo: “Quem v-o-l-t-o-u?”
“A peste da velha do Marrocos! Ela veio morar aqui na nossa rua! Na nossa Martinho! Oh, pelos deuses o que vamos fazer????”
Penso se não seria o momento de fechar um.... mas como agora sou pessoa de ‘bem’, achei que não ia dar e parti para o racional: ‘Escuta minha filha, mas essa ‘zinha’ já não foi dessa para melhor? Isso tudo não foi em outra vida?”
“Nada....foi nessa mesma baby!”
Resultado, a amiga bicho-grilo se mudou naquela noite mesmo e eu nem vi! Quanto a velha do Marrocos? Bem, anos se passaram e, ainda hoje,  a filha da mãe da velhota passa na porta da minha casa todo o santo dia....Toda empertigada, durinha e fedendo a formol com colônia de flores...
É .... são coisas da Martinho....Aliás, outro dia ela e as amiguinhas dela bateram uma foto e fizeram questão de me entregar....Ninguém merece!



FIM DA HISTÓRIA...
p.s.: gente fiquei na dúvida: a placa do carro, acho que é do Paraguai...será? 
p.s.2: imagem tirada da internet...kkk Valeu Luci!