30 de jan de 2011

AS DIVAS...




DIVAS VEM DA PALAVRA DIVINDADE, OU SEJA, AQUELAS MULHERES QUE, A MAIOR PARTE ATRAVÉS DAS ARTES, PRINCIPALMENTE A CINEMATOGRÁFICA, ESTÃO ENTRE A TERRA E O CÉU. ELAS FIZERAM SONHAR GERAÇÕES E O MUNDO INTEIRO FALAVA DELAS. MUITO MAIS DO QUE HOJE SE FALA DE MADONNA, POR EXEMPLO, QUE É UMA DIVA CONTEMPORÂNEA, MAS NÃO TEM A UNANIMIDADE QUE AS DIVAS ATÉ OS ANOS 60 TINHAM: O PLANETA TODO SE AJOELHAVA A SEUS PÉS. PARA A ADORAÇÃO DOS FÃS HAVIA AS REVISTAS DE CINEMA NO LUGAR DA INTERNET. VENDIAM MILHÕES PELO MUNDO; NO BRASIL AS DUAS FAVORITAS ERAM FILMELÂNDIA E CINELÂNDIA, QUE TEM FÃS ATÉ HOJE. ERAM ENVOLTAS NUMA AUREA DE MAGIA E GLAMOUR QUE MAIS SE SENTIA DO QUE SE EXPLICAVA.

AS DO CINEMA ERAM TRATADAS COMO DEUSAS EM SEUS ESTÚDIOS SEJA EM HOLLYWOOD OU NA CINECITTÁ. ALGUMAS FORAM FELIZES (SOPHIA), OUTRAS NEM TANTO (SARITA, BRIGITTE) TIVERAM UM DESTINO TRISTE (MARILYN, MARTINE CAROLL). É INGRATO ESCOLHER AS MAIS DIVAS ENTRE TANTAS QUE O CINEMA CRIOU PARA ENTRETER A HUMANIDADE. A ESCOLHA FOI MUITO PESSOAL E BASEADA PRINCIPALMENTE EM FOTOS INÉDITAS E POUCAS VEZES OU NUNCA DIVULGAS; (FONTE: http://www.ovadiasaadia.com.br/)





Marilyn Monroe (1926/1962)
Seu nome representa ainda hoje mais que uma estrela de cinema, sendo para muitos um ícone, sinônimo de beleza e sensualidade. Foi a maior rainha do sonho hollywoodiano. Marilyn Monroe personificou o glamour da terra do cinema com incomparável brilho e energia que encantaram o mundo. Até hoje seu suposto suicídio é um mistério. Em seus 30 filmes, todos bons, maravilhas como Quanto mais quente Melhor, Os homens Preferem as Louras e Adorável Pecadora.







Joan Crawford (1905/ 1977) 
Olhar penetrante, as vezes assustador e uma grande atriz, imensa (O que aconteceu com Baby Jane até hoje é cultuado). Joan foi casada quatro vezes.  E, consequentemente, uma das mulheres mais ricas do mundo. Não teve filhos mas adotou quatro crianças. Uma delas tentou - em vão -  destruí-la com o livro Mamaezinha Querida, que teve sua versão no cinema vivida por Faye Dunuway (e que acabou com sua espetacular carreira!). 




Brigitte Bardot (1936)
Foi o símbolo sexual do mundo de 1958 a 1970. Só se falava nela. Tirou milhares de fotos, amou demais, sofreu demais. Escreveu dois livros biográficos, onde contou tudo, teve um filho. Foi cantora. Sua vinda ao Rio de Janeiro parou a cidade e a fez descobrir Búzios. Aos 40 anos abandonou o cinema e se dedica até hoje a causa dos animais com fervor. Anda de bengalas, tem a saúde frágil e não gosta de sua fase De superstar. Propositalmente não fez plástica. "Minha juventude dei aos homens e minha velhice dedico aos animais", foi sua declaração à humanidade, que resume sua vida.








Sophia Loren (1934)
Foi uma das mulheres mais desejadas do planeta; diva de filmes como "Duas Mulheres" (1961), "Matrimônio à Italiana" (1964, com Marcello Mastroianni,(seu par mais constante só nas telas) e Girassóis da Rússia (67) revelou  que "mesmo tendo o amor de meus filhos e dos meus netos, me falta alguma coisa. E esta coisa é Carlo Ponti", seu marido e descobridor que a transformou na rainha da Itália e morreu em janeiro. "Quando vou ao seu quarto, sinto ainda seu perfume", confidencia a diva, lindíssima aos 77 anos, E esteve em 2001 no Rio de Janeiro. 







Bette Davis (1908 / 1989)
Marcou gerações, fez grandes filmes (Jezebel), caiu e se levantou artisticamente várias vezes. Era feia e tinha um gênio muito difícil; venceu pelo gigantesco talento. Morreu na França, longe de Hollywood. Teve uma vida solitária, apesar de toda fama e glória e escreveu dois livros de memórias.

Sara Montiel (1928)

Uma das grandes estrelas do cinema e da canção espanhola, queridíssima no Brasil, onde fez vários shows. Estourou no mundo todo com La Violetera, e todos seus outros filmes se pareceram com este.  Esteve um longo período não oficial em São Paulo em 1999 na casa da amiga Maria Lúcia Prades. Estrelou muitos programas e shows na TV espanhola. Vive em Madrid. 









Catherine Deneuve (1943)
Modelo de beleza e ícone da elegância atua até hoje, apesar de não ter envelhecido tão bem. Musa de Yves Saint Laurent escandalizou no filme A Bela da tarde (1967). Trabalhou em quase 50 filmes e não pensa em parar. Vai a todos os festivais de cinema importante como Cannes e Veneza; esteve três vezes no Brasil (em São Paulo lançou sua coleção de jóias para H Stern em 1983). Em 1992 esteve em Punta Del Este (Uruguai) na rumorosa festa de Gilberto Scarpa, hoje falido, fato que até hoje atiça a crônica mundana francesa: descobriu-se que ela e Gina Lollobrigida(diva italiana) cobraram cachê para comparecer...









Greta Garbo (1905 – 1990)
A Divina como era chamada nasceu na Suécia, mas foi glorificada em Hollywood com filmes como A Dama das Camélias e Ninotchka. Abandonou tudo e todos aos 36 anos e depois de sua morte, em Nova Iorque, é que  se soube das coisas: colecionou uma fortuna em obras de arte, amava a jardinagem, perdeu os seios e tinha uma saúde muito frágil. Foi amiga de Onassis e Jackie Kennedy e dos bilionários Rotschild. Bissexual, ficou reclusa até o fim da vida e sua frase se tornou famosa “Quero ficar só”. 







Romy Schneider (1938- 1982)
A maior atriz do cinema contemporâneo francês era austríaca. Em sua terra ficou famosa com a série Sissi, que até hoje vende muitas cópias, inclusive no Brasil. Mas foi na fase madura que Romy se tornou uma das mulheres mais lindas e fascinantes do mundo. Nos anos 70 protagonizou filmes esplêndidos. Na vida pessoal foi abandonada em 1967 por Alain Delon no auge do namoro que era manchete mundial; teve problemas com alcool e drogas e a perda de seu filho David de 14 anos a levaram a uma inesperada parada cardíaca aos 42 anos em Paris. Sua filha Sarah hoje tem 32 anos e faz cinema.  Seus fãs estão tristes até hoje.



essa última além de belíssima
tremenda atriz... do grupo, para mim a melhor...
buenas 
desejando
um domingo abençoado e surtado e, de preferência,
sem nada para fazer...

BEIJOS
SURTADOS
REGINA