5 de ago de 2013

GRANDIOSA FLORBELA!



Gosto das belas coisas claras e simples, 
das grandes ternuras perfeitas, 
das doces compreensões silenciosas, 
gosto de tudo, enfim, onde encontro 
um pouco de Beleza e de Verdade... 
Porque há ainda no mundo, graças a Deus, 
almas-astros onde eu gosto de me refletir, 
almas de sinceridade e de pureza
sobre as quais adoro debruçar a minha..."


Florbela Espanca 

 (Vila Viçosa/Alentejo - Portugal, 8 de Dezembro de 1894 — Matosinhos/Portugal, 8 de Dezembro de 1930). 
Florbela d'Alma da Conceição Espancatem hoje tem seus versos admirados em todos os cantos do mundo, diferentemente do que aconteceu quando ainda viva, época em que foi praticamente ignorada pelos apreciadores da poesia e pelos críticos de então. Os dois livros que publicou, por sua conta, em vida, foram "O Livro das Mágoas" (1919) e "Livro de "Sóror Saudade" (1923). Às vésperas da publicação de seu livro "Charneca em Flor", em dezembro de 1930, Florbela pôs fim à sua vida. Tal ato de desespero fez com que o público se interessasse pelo livro e passasse a conhecer melhor a sua obra. Dizem os críticos que a polêmica e o encantamento de seus versos é devida à carga romântica e juvenil de seus poemas, que têm como interlocutor principal o universo masculino.



AGRADECENDO NOSSA AMIGA LUCI PELA IDEIA!
TENHAMOS TODAS UMA SEMANA TRANQUILA DE BONS SURTOS!
BEIJOKAS SURTADAS,