10 de nov de 2015

O INFERNO DE CADA UM...


Melhor dizendo: a cruz que você carrega não é mais leve nem mais pesada que a de outros!
A questão é quem se importa? Pois cada um tem o inferno que merece ou que lhe convém e está pouco preocupado com o inferno dos outros.
Uns reclamam demais, outros de menos.
Uns têm muitos, outros absolutamente nada.
Uns poderiam estar sorrindo, outros passam chorando.
Uns poderiam falar, mas passam gritando.
Enquanto isso a vida vai passando...
A verdade das coisas que não entendemos, se é que ela existe, pertence ao inferno pessoal de cada pessoa que vive na face da Terra e do jeito que o planeta está povoado, estou achando que esse Inferno está para lá de bonzinho!!!

Quando você chega em um momento da vida que é obrigado a olhar, ouvir e sentir (porque simplesmente acontece e não há como fugir) e não faz nada por absoluta falta de vontade, simplesmente respira porque é isso que consegue fazer e se pudesse nem respiraria mais, então meu amigo(a), a coisa está séria. Você praticamente congelou o Inferno por total inércia de sua parte.

Sei que alguns vão me matar por usar uma referência tosca, mas fazer o quê? Preciso pelo menos mostrar como imagino o que seja essa inércia!
Sabe aquele filme dos vampiros cheios de purpurina? Aqueles da saga Crepúsculo, pois então!
No último filme ou no final de penúltimo, sei lá qual deles!
Pois bem, na cena que a heroína vesga vira vampira - naquela cena, ela se encontra aos olhos dos outros totalmente inerte, praticamente morta. Por dentro, o próprio Inferno a consome e todos acham que ela não vai conseguir, ou seja, para o mundo exterior a inércia a atingiu. Ponto. Paramos por aqui o exemplo, o resto não serve para mais nada.

Nesse momento da vida lembro dessa cena, porque parece que estamos todos vivendo e olhando as coisas acontecerem, mas aos olhos dos outros somos totalmente inertes e insensíveis, mas por dentro a vontade deve ser de enfiar os dedos e rasgar até em cima...
Pois dizem que cada um carrega a cruz que merece, não concordo.
Acho que cada um cria o Inferno que merece, e muitas vezes mesmo este abandona o barco porque a coisa está ficando indiferente demais!

E pensar que começamos o mês de forma tão positiva!
BEIJOKAS SURTADAS,