3 de dez de 2010

UM BEM DA CIVILIZAÇÃO, por NAIR LACERDA


IMAGEM


QUANDO SE FALA EM DIREITOS HUMANOS A REFERÊNCIA VAI SEMPRE PARA A MISÉRIA, AS TORTURAS, PARA TUDO QUANTO DESRESPEITE, NO HOMEM, SEJA ELE QUEM E O QUE FOR, O SER HUMANO. MAS HÁ OUTRO TIPO DE DIREITO QUE NÃO RECEBE TANTOS DEFENSORES: É O DIREITO AOS BENS DA CIVILIZAÇÃO. ENTRE ESSES BENS – DEIXANDO DE LADO OS PURAMENTE MATERIAIS – ESTÁ A POSSIBILIDADE DE DESENVOLVIMENTO DOS TALENTOS E DA CAPACIDADE DE CADA QUAL, AQUISIÇÃO DE CULTURA QUE CHEGUE AO MÁXIMO DENTRO DAS NATURAIS LIMITAÇÕES DA INTELIGÊNCIA, A OBTENÇÃO DE CONHECIMENTOS QUE COLOQUEM A CRIATURA HUMANA ACIMA DOS BRUTOS, QUE LHE DÊEM MEIOS E MODOS DE PROGREDIR EM TODOS OS SENTIDOS, LI, RECENTEMENTE, EM REVISTA ITALIANA, QUE “ O DIREITO AO ESTUDO, QUE NÃO É UMA CONCESSÃO, POIS É DIREITO DE TODOS, DEPENDE DO DESCONDICIONAMENTO SOCIAL DO JOVEM, E A SOCIEDADE DEVE ESTAR EM CONDIÇÕES DE OFERECER A TODOS OS MOÇOS, SEJA QUAL FOR SEU SETOR SOCIAL, ESTIMULOS IGUAIS PARA SEU DESENVOLVIMENTO”.
DE FATO, A SOCIEDADE CONDICIONA O JOVEM PARA SER AQUILO QUE SEU SETOR SOCIAL DETERMINA. DAÍ TANTA INCAPACIDADE DIPLOMADA A DURAS PENAS, E TANTOS TALENTOS MORTOS EM EMBRIÃO, SEM TEMPO, SEQUER, PARA SABER QUE PODERIAM TER SIDO DESENVOLVIDOS. O MARGINAL QUE SE FAZ CHEFE DE QUADRILHA, POR EXEMPLO, É, EVIDENTEMENTE, UM LIDER NATO, UMA INTELIGÊNCIA FRUSTRADA, MAL ORIENTADA. EDUCADO QUE TIVESSE SIDO, TERIA TIDO CARREIRA FELIZ EM ATIVIDADES MENOS CONTUNDENTES.
A CULTURA É CONSIDERADA COMO UM BEM DA CIVILIZAÇÃO, MAS, COMO TODOS OS BENS, TEM SIDO UM PRIVILÉGIO. OS PRECONCEITOS SOCIAIS CRIARAM OS PRECONCEITOS PROFISSIONAIS, E NUNCA SE ESPERA QUE O INDIVÍDUO OCUPADO EM TRABALHOS ARTESANAIS POSSA APRECIAR OS VALORES CULTURAIS. CONTUDO, PASCAL POLIA LENTES..... FALTANDO CULTURA, FALTA O ESTÍMULO, FALTA AQUELE DESEJO NATURAL DE PROGREDIR MATERIALMENTE. SE ESSE DESEJO VEM ANTES DO ANSEIO PELA EVOLUÇÃO MORAL E ESPIRITUAL É QUE TAL ANSEIO DEPENDE, MUITO MAIS DO QUE SE IMAGINA, DO TIPO DE VIDA MATERIAL QUE LEVA O INDIVÍDUO.
TEMOS, É VERDADE, UMA ESTUPENDA DISSEMINAÇÃO DE ESCOLAS DE CURRÍCULO SUPERIOR EM NOSSA TERRA, DANDO FALSA IMPRESSÃO DA NOSSA EXPANSÃO CULTURAL, JÁ QUE PARA ALI NÃO SE ENCARREIRAM AS VERDADEIRAS VOCAÇÕES, OS LIGÍTIMOS TALENTOS, MAS AQUELES QUE TÊM CONDIÇÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS PARA TANTO. AS EXCEÇÕES EXISTEM, MAS NÃO É POSSIVEL ARGUMENTAR COM EXCEÇÕES. O DIPLOMA UNIVERSITÁRIO, E NÃO A CULTURA, É HOJE UMA OBSESSÃO, A JULGAR PELO NIVEL CULTURAL DA GRANDE MAIORIA DOS DIPLOMADOS. BEM DA CIVILIZAÇÃO. SIM. MAS ALCANÇÁ-LO É UM PRIVILÉGIO DESSA MESMA CIVILIZAÇÃO, QUE NUNCA VAI APRENDER A DAR A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR. (Crônica, publicada no jornal A Tribuna de Santos no dia 10 de dezembro de 1979)